terça-feira, junho 13, 2006

o Homem, o homem ou a pessoa?

Já há algum tempo que evito usar a palavra "homem" para me referir à espécie humana, e recomendo aos meus alunos que façam o mesmo. Tenho tido inclusivamente algumas discussões sobre este assunto com pessoas (inclusivamente mulheres) que defendem o uso do termo por, entre outras, questões de tradição.

Ficava pois na dúvida se estaria a cair nalgum exagero do politicamente correcto. Mas afinal até há directivas da UNESCO neste sentido (já desde 1987!), e recomendações do Parlamento Europeu. Para saber mais, ver este artigo da Wikipédia.

5 comentários:

LN disse...

"pessoas (inclusivamente mulheres)" ????

lá se vai a «non-sexist» teoria...

José N. Azevedo disse...

LN

Não percebi o comentário- achas a frase sexista?

Ricardo Cordeiro disse...

Concordo consigo professor, aliás fui uma das suas "vítimas", mas na verdade o conceito de "Homem" como ser humano (homem e mulher) está em todo o lado. Claro que isto não significa que nós não possamos mudar esta situação.

Só um exemplo, Dicionário de Lingua Portuguesa 2004 (Porto Editora):
homem - s.m. 1 mamífero primata, bípede, sociável, que se distingue de todos os outros animais pela faculdade da linguagem e pelo desenvolvimento intelectual; 2 ser humano; ser vivo composto de matéria e espírito; 3 pessoa adulta do sexo masculino; sujeito; indivíduo; (...)

pessoa - s.f. 1 ser humano considerado na sua individualidade física e espiritual; (...)

Isto é, não é incorrecto referirmos-nos aos seres humanos como o Homem, mas será, certamente, mais correcto dizer-se pessoa(s).

O professor numa sala de aulas cheia de alunas e com apenas um aluno, como os aborda na sua totalidade? Utilizando o português correctamente: "- Caros alunos.", apesar de haver um só aluno. Sempre se pode dar a volta e dizer: "- Caras alunas e caro aluno." Mas nunca: "- Caras alunas.".

Será a língua portuguesa "machista"?

LN disse...

afirmas «pessoas» e, entre parêntesis, incluis a «inclusão» das mulheres nas pessoas, certo?
alguém duvida que as mulheres são pessoas?

concluo, de forma breve: a expressão que se afigura pretensamente clarificadora incluindo as mulheres nas pessoas é sexista, ou melhor, é diferenciadora de género... apesar de pretender não o ser :)

José N. Azevedo disse...

Ricardo,

Prazer em saber-te por cá. Ter muitas pessoas a dizer uma coisa não a torna correcta, pois não? Quanto ao discurso oral, falo assim de facto, mas não gosto. Tenho que ver se há uma directiva para isso... :-D

LN,

Touché, as always, mas estou certo que percebeste a intenção (e a indirecta).