sábado, junho 24, 2006

E-learning: o fim antes do princípio?

Um relatório intrigante (arquivado aqui) da Universidade da Pensilvania, que procura responder à pergunta "Porque rebentou a bolha do e-learning?".

Os autores concluem:

Even when they use e-learning products and devices, most faculty still teach as they were taught—that is, they stand in the front of a classroom providing lectures intended to supply the basic knowledge the students need. Hence, we see the success of course management systems and PowerPoint— software packages that focus on the distribution of materials rather than on teaching itself.
What is Thwarted Innovation’s conclusion? E-learning will become pervasive only when faculty change how they teach—not before.

2 comentários:

Prof. Teresa disse...

Olá!
Da revisão de literatura que já realizei para a minha tese fui-me apercebendo disso. Senti que, de facto, não era só preciso mudar os meios mas as formas de ensino, as posturas.
Obrigado pela dica. Recomendarei a quem está mais nessa área.

Bom Domingo! Bj

José N. Azevedo disse...

Em muitas das coisas em que estou envolvido vai sempre parar-se à mesma conclusão: o problema são as pessoas. E é sempre aí que esbarram as boas intenções de qualquer reforma.

Donde aquilo que mais interessa num processo de mudança é saber como mudar as pessoas. E mudar aqui pode ser até no sentido literal de afastá-las do processo. No espírito de "quem não faz parte da solução faz parte do problema".

É isso que o governo está a fazer, ao reduzir o orçamento das universidades, criar mecanismos de avaliação e publicar legislação de mobilidade dos funcionários. Dá a cenoura de Bolonha e o pau do orçamento. A bem dos estudantes e do país, espero que o método resulte :-)

Boa semana. Bjs.